A memória traumática do fracasso - Por Uemerson Florencio

A memória traumática do fracasso - Por Uemerson Florencio
Uemerson Florencio - Escritor e correspondente internacional
A memória traumática do fracasso - Por Uemerson Florencio

O que você sente quando fracassa? Quais são os discursos que operam em sua mente após um momento te fracasso? Antes de iniciar reflitamos o peso de uma palavra - lembrança. Ela se revela quando somos induzidos a recordar de modo direto ou indireto de momentos marcantes em nossa vida. Quando experimentamos os embates entre a força e a fraqueza, o medo e a coragem vemos muito bem as marcas dessas interações. Como você define o peso dessas palavras em sua vida?

 

A partir dos diversos tipos de convivências, a natureza humana sofre muitas mutações a começar pelas alterações das suas concepções sobre a vida. De acordo com o que você receba destas relações interpessoais, marcas poderão permanecer contigo, ou seja, memórias traumáticas serão geradas. Os seus pensamentos serão afetados por uma grande ebulição de conflitos, essa grande descarga de questões não ou mal resolvidas podem gerar falta de atenção e concentração em suas rotinas em geral.

 

Você pode adotar crenças positivas ou negativas em função do que você tenha dentro de si mesmo, nesse contexto, viverá uma constante batalha interna, fruto das dores do fracasso. Essas crenças irão gerar os diversos sentimentos divergentes, porque eles são originários das causas ou efeitos do fracasso.  

 

Diante destes cenários de tanta hostilidade psicológica, respeite as perdas, prejuízos ou resultados negativos das pessoas. Você não sabe em qual momento emocional ela se encontra, não sabe se ela está conseguindo suportar o pêso desta ocorrência. Você também não sabe se será a última pessoa que ouvirá seus depoimentos desta pessoa.

 

Um fracasso pode gerar novos fracassos, então, muito cuidado para não ser a pessoa que contribuirá para que ela cometa algo consigo mesma! Se você tiver, como ficará a sua consciência?

 

Todas as memórias traumáticas são resultadas de tudo o que se vivencia e/ou testemunha no curso da vida. As memórias traumáticas impulsionam diversas variáveis e ocorrências de cunho psicofísico e comportamental que impactam não só em nossas relações interpessoais como nos resultados. Por conta disso, cada pessoa manifesta o seu fracasso de uma maneira. Tudo o que vivemos permanece em nossa memória, registrados com os mais profundos detalhes.

 

O que realmente testemunhamos a partir da presença ou ausência da relação entre os nossos pais e deles para conosco, acrescido de todas as experiências oriundas de nossa família e amigos. Quem não se lembra dos momentos em que presenciou os conflitos entre pai, mãe ou outro membro da família? Quem lhe dava o não mais doloroso e porque doía tanto em você?

 

Para tanto, é na infância que existem as mais constantes solicitações e por depender dos pais, as crianças são talhadas entre o sim e o não dos limites. É nesta fase que muitas negociações são postas em prática, no entanto, de acordo com a cultura familiar, pode se notar muita permissividade, rigorosidade ou indiferença. É a partir desta realidade que você pode lembrar da clássica expressão que diz: “para mim, tanto faz, como tanto fez”.

 

Quantas crianças transitam entre o pai e a mãe, num intenso jogo, onde nenhum dos dois assumem uma posição clara perante a criança. Como esta criança poderá desenvolver as referências que lhes permitam avaliar, julgar e definir os rumos da sua vida com clareza?

 

A fase adulta bate à porta e passa a viver através dos reflexos desse período, o da infância. Esta mesma pessoa pode vir a tomar decisões aleatórias ou nem ter condições de adotar posicionamentos claros e com firmeza. Afinal, tem fortes limitações em termos de amadurecimento emocional que lhe permita avançar, progredir e prosperar em suas relações e em suas conquistas materiais.

 

Muitas atitudes ou eventos traumáticos que uma criança vive ou testemunha no ambiente familiar dão origem para muitas modelagens mentais. Elas se formam no cérebro e se manifestam como cenários bem elaborados dotados de cores, notas aromáticas, mobiliários, cenas humanas, desenhos, pinturas, tipos de plantas, animais, registros de falas, texturas, alimentos, bebidas, tipos de ruídos, sons, entre outros.

 

Sendo assim, ao ter contato com alguns destes dispositivos de ativação sensorial da memória traumática a pessoa em questão pode reagir de forma explosiva ou sendo consumida silenciosamente pelo estresse pós traumático, angustia, ressentimentos, falta de perdão, entre outros. Esses cenários que são ativados pelos campos sensoriais das memórias traumáticas, que foram inseridos na mente, tornando assim, os chamados territórios conhecidos ou mapas mentais. Como está a sua saúde emocional hoje? No seu ambiente produtivo, os seus resultados são satisfatórios?

 

* Uemerson Florêncio – (Brasileiro) Empreendedor. Treinador, palestrante e correspondente internacional de opinião para 5 países de língua portuguesa na África (São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Moçambique, Guiné Bissau e Angola), 6 países de língua espanhola (Argentina, Paraguai, Chile, Uruguai, Peru e Espanha) e Estados Unidos e Brasil, onde expõe sobre a análise da linguagem corporal, gestão da imagem, reputação e crises, além de desenvolvimento de cidades. Criador do método pentágono da comunicação. Gestor de conteúdo do site da empresa Conceito Treinamentos no Brasil.