Quinta, 15 de Novembro de 2018
Política
Bolsonaro critica questão do Enem sobre gays e promete exame com temas ‘úteis’
Imagem: Reprodução/Youtube
Publicado em 06/11/2018

A metodologia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foi alvo de crítica do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) durante a tarde desta segunda-feira (5)

Em entrevista ao vivo ao Brasil Urgente, da Band, o capitão reformado do Exército foi contra a aplicação de uma questão sobre linguística que relatava a utilização da linguagem pajubá, de origem no iorubê, por gays e travestis.

Segundo ele, o exame não será extinto, mas como presidente irá cobrar temas “úteis” para a Educação, que tenham “a ver com a história e cultura do Brasil”.

“Uma questão que entra na linguagem secreta de travesti não tem nada a ver, não mede conhecimento nenhum. A não ser obrigar que no futuro a garotada se interesse mais por esse assunto. Temos que fazer com que o Enem cobre conhecimentos úteis”, afirmou.

Ainda em entrevista ao programa, Bolsonaro falou sobre uma “supervalorização” dos LGBT+. “Parece que há uma supervalorização de quem nasceu assim”, disse.

Pajubá – Relatos históricos e pesquisas acadêmicas apontam, de acordo com o Nexo Jornal, que a utilização do pajubá entre travestis começou nas décadas de 1960 e 1970.

Nas sua origem, o dialeto funcionava como proteção a seus usuários. “Começamos a falar na época da ditadura, por conta da repressão policial e para despistar na presença de alguém indesejado”, afirmou a presidente da Associação de Travestis de Salvador (Atrás), Keyla Simpson, em uma entrevista de 2009 para uma publicação da Ufba (Universidade Federal da Bahia).

Por: Rayllanna Lima
Comentários
veja também
Rede News Online 2011 - 2018 © Todos os direitos reservados - 26 usuários online - Páginas visitadas hoje: 0